• Jardim do Castelo

    Castelo / Fortaleza
    Jardim

  • Jardim da República

    Jardim da República

  • Parque Urbano de S. Lourenço

    S. Lourenço
    Parque Urbano

  • Praia Fluvial de Aldeia do Mato

    Aldeia do Mato
    Praia Fluvial

  • Aquapolis

    Aquapolis
    Margem Norte

  • Largo dos Combatentes da Grande Guerra

    Tramagal
    Largo dos Combatentes da Grande Guerra

espacos

Políticas de sustentabilidade

 

Os espaços verdes municipais têm características próprias que devem ser preservadas e conservadas, assegurando-se que os munícipes e os utilizadores em geral deles possam usufruir e beneficiar. Estes espaços devem reflectir as preocupações com o equilíbrio ecológico no meio urbano, preservando a natureza e o ambiente, contribuindo para uma melhoria da qualidade de vida das populações. Deste modo, considerou o Município, fundamental, a existência de espaços verdes no seio urbano e consequentemente um planeamento de gestão de actividades para os manter nas condições adequadas ao longo do ano.

Os espaços verdes refletem  preocupações ao nivel da redução e monitorização dos consumos de água, com a rega, evitando o desperdício, utilizando técnicas que permitam um doseamento correcto das quantidades a fornecer às plantas, e ainda, promovendo a consciência ecológica e a utilização de espécies autóctones e de regiões com clima semelhante, que se adaptem bem, limitando-se, desta forma, o uso de fertilizantes, produtos fitossanitários, etc.

 

Espaços Verdes existentes


Os Espaços Verdes com maior relevância em Abrantes, quer pela sua dimensão, quer pela riqueza da sua vegetação ou da componente histórica e patrimonial que lhes está associada, são, o Jardim do Castelo, próximo do centro histórico da cidade, Parque Urbano de S. Lourenço, Aquapolis – Parque Ribeirinho, Parque e Jardim do Alto de St. António, Jardim da República, todos eles situados no perímetro urbano da cidade. Existem muitas outras áreas ajardinadas e dispersas pelo centro histórico, Cidade Desportiva e na envolvência de urbanizações e avenidas.


Alguns Espaços a Referenciar

Jardim do Castelo

Este agradável jardim é conhecido pela beleza dos seus canteiros de flores e pelas paisagens que se podem visualizar a partir deste, tendo como fundo, o Rio Tejo. A sua fundação data do final do século XIX. É muito procurado pelos abrantinos para passeios de final de tarde ou de fim-de-semana e pelos turistas. Este jardim para além das típicas plantas herbáceas que florescem no decorrer das estações, ainda contém diversas espécies mais exóticas: estrelícias, yucas, palmeiras, trepadeiras, cactos de grandes dimensões e maciços de aloés florescem de laranja em pleno inverno. De salientar o enorme exemplar de Chorisia speciosa, uma árvore com o troco espinhoso, proveniente da América do Sul que se cobre de flores rosa em Outubro. É seguramente, um dos locais mais visitados e fotografados do concelho, pois a harmonia dos espaços verdes e do colorido das flores, com a paisagem circundante, formam um quadro digno de bilhete-postal. GPS: 39.464443N / 8.195286W

Jardim da República

Antigo Rossio, foi ponto de encontro para as mais diversas manifestações populares (largadas e corridas de touros, mercado semanal e feira anual, desfiles militares e comícios políticos). Em 1942/43 foi ajardinado o local com um projeto do Arq. João António de Aguiar e foi então que ganhou a designação atual. Em 1940 foi aqui construído o Monumento aos Mortos da Grande Guerra (1914-1918), escultura da autoria de Roque Gameiro, a primeira a ser esculpida em cimento e ferro no nosso país. A escultura simboliza todos os soldados conhecidos e desconhecidos que perderam a vida na Batalha de “La Lys” a 9 de Abril de 1918. GPS: 39.461213N / 8.197861W

Jardim do Alto de Sto. António - Esculturas em ferro

No Alto de Santo António, junto à torre de telecomunicações, encontra-se mais um espaço verde da cidade. É mais um local de onde se pode admirar a paisagem. Disseminadas pelos relvados encontramos várias esculturas. São os trabalhos que resultaram do I e II Simpósio de Escultura em Ferro, realizados em Abrantes no final dos anos 90. GPS: 39.46301N / 8.203424W

Parque Urbano de S. Lourenço

O Parque Urbano de S. Lourenço é um amplo espaço natural com uma área total de 14 hectares. Situa-se na Mata de S. Lourenço, sendo um local calmo e tranquilo, dentro do perímetro Urbano da cidade, e um importante ponto de convívio social e familiar. Em 2004 este espaço foi alvo de remodelação, que lhe permitiu possibilitar uma oferta diversificada de produtos de recreio, lazer e cultura. O parque oferece aos seus utilizadores uma diversidade de atividades e tem ao seu dispor percursos pedonais, circuito de manutenção, uma ciclovia, parque infantil e de merendas, parede de escalada, bicicletas e mini karts, um lago artificial, uma cafetaria/bar e restaurante e um parque de insufláveis e uma ludoteca. Junto ao Parque Urbano encontra-se a Ermida de São Lourenço (Imóvel de Interesse Público).

Aquapolis

O Aquapolis – Parque Ribeirinho de Abrantes, resulta da reabilitação das duas margens do Rio Tejo, junto à encosta sul da cidade. Pela sua dimensão e enquadramento com o espelho de água resultante da construção de um açude insuflável, constitui um pólo de atracção tanto pela exploração das suas infra-estruturas, como pelo usufruto de um agradável espaço de recreio, lazer, desporto, cultura e convivência social revitalizando a ligação da cidade como Tejo. Nos seus jardins poderemos encontrar um vasto leque de espécies arbóreas desde as típicas de zonas ribeirinhas - os bem conhecidos choupos, salgueiros e freixos, a outras mais utilizadas pelo seu valor ornamental, tais como, albizia, tipuana, cerejeira-do-Japão e liquidambar. Vastas extensões de canteiros de plantas herbáceas e arbustivas fazem a ligação entre os diferentes espaços. Aqui poderemos apreciar alecrim, medronheiro, alfazema, gazanea, santolina, entre outras que florescem ao longo do ano. Um local atrativo que oferece aos seus visitantes espaços de lazer e contemplação com circuitos de manutenção, zonas de relvado, anfiteatro, campo polidesportivo, ciclovias, zona de patins/skate, parque infantil, parque equipado com aparelhos para exercício físico, parque de merendas, zonas de restauração e bar, praia fluvial com campos de futebol ou de rugby e voleibol, estação de serviço de autocaravanas, rampa de acesso ao rio. Ainda na margem norte, em “diálogo” com o que resta da antiga ponte de barcas, destaca-se pela sua dimensão e ousadia a Cidade Imaginária do escultor Charters de Almeida. A margem sul dispõe de uma praça coberta com zona de bares. Como marca do tempo encontramos os Mourões, restos dos pilares de uma antiga ponte de barcas, construída no período das invasões francesas. Ainda na margem sul do Aquapolis, encontramos o ParqueTEJO que tem como principal objetivo contribuir para a promoção do património natural e cultural dos territórios ribeirinhos que se situam em torno do Rio Tejo. Criado para a valorização do Tejo, com a projeção de conteúdos referentes ao património do rio, é constituído por 3 equipamentos multimédia interativos: Miradouro Virtual (exterior), Parede Virtual e Simulador virtual (em espaço fechado) que oferecem atividades ambientais. Outra das valências do Centro são as condições e serviços disponíveis para os cicloturistas dignos do selo” Bike Friendly” e a possibilidade de pernoitar no parque de campismo e autocaravanismo.
 

Praia Fluvial de Aldeia do Mato

Local agradável e com potencialidades únicas, apresentando-se como um centro de veraneio, ideal para quem ama a natureza e os desportos náuticos. Dentro das atividades que proporciona destaca-se a vela, remo, canoagem, passeios em gaivotas e kayaks, o windsurf, a pesca, natação e os passeios de barco e jangada (marcação). Dispõe de bar, parque de merendas e bungalows. O espaço envolvente da praia fluvial é ideal também para a realização de percursos pedestres, BTT e orientação. GPS: 39.545084N/8.277179W

 

bandeira azul Praias Acessiveis

 

Condições dos serviços

Largo do Cruzeiro - Pego

O largo do Cruzeiro, localizado numa zona central da Aldeia do Pego, é um espaço polivalente, predominantemente pavimentado, dotado de arborização, mobiliário urbano e área de jogo e recreio.

Largo dos Combatentes da Grande Guerra – Tramagal

O Largo dos Combatentes é um espaço de lazer e convívio localizado no centro da Vila de Tramagal. Distingue-se pela presença de um conjunto de plátanos de grande dimensão que o tornam aprazível e singular.

Miradouro e Cais da Barca - Tramagal

O Miradouro da Penha está localizado na margem esquerda do Rio Tejo, na entrada da Vila de Tramagal. Neste foi construído em 1952, o monumento a Eduardo Duarte Ferreira (Tramagal, 10 de Fevereiro de 1856-1948), sob projeto de Keil do Amaral. Teve recentemente uma intervenção de requalificação tendo sido dotado de parque de merendas e de um acesso ao cruzeiro. Foi ainda definido um percurso pedonal entre este e o Cais da Barca, localizado na margem do Rio Tejo, um espaço de beleza natural única, dotado de mobiliário urbano e de um cais de acesso ao rio.

Miradouro de Rio de Moinhos

Localizado na margem direita do rio Tejo junto ao aglomerado urbano de Rio de Moinhos, o Cais das Barcas era um lugar que serviu para acostar embarcações de pescadores e de transporte de pessoas e bens entre as duas margens do Tejo O Cais das Barcas de Rio de Moinhos converteu-se num espaço de lazer e estadia para a população local, nomeadamente após a construção de um anfiteatro ao ar livre e a instalação de equipamento de mobiliário urbano – mesas e bancos.

Neste sítio são utilizados cookies de forma a melhorar o desenpenho e a experiência do utilizador. Ao navegar no nosso sítio estará a concordar com a sua utilização. Para saber mais sobre cookies, consulte a nossa politica de privacidade.