Acesso gratuito a equipamentos desportivos

A Câmara de Abrantes aprovou ontem, dia 08 de janeiro, a isenção de pagamento de taxas, no valor total de 16.735,76€, na sequência da solicitação por parte de algumas escolas e outras entidades, para utilização de diversas infraestruturas desportivas municipais.

Tal como tem acontecido em anos anteriores, trata-se de um apoio institucional de forma a facilitar o acesso gratuito aos equipamentos desportivos para práticas letivas ou como complemento à formação das crianças, jovens e demais utentes.
Os equipamentos utilizados são o complexo municipal de piscinas (piscina coberta), a piscina do Tramagal, o campo de futebol sintético, a pista de atletismo e a sala de musculação e reabilitação da Cidade Desportiva.

No caso das escolas, os equipamentos são utilizados para a realização de aulas curriculares e no âmbito do desporto escolar. Já em relação a associações de pais, destinam-se a atividades enquadradas na componente de apoio à família e das férias de Natal. Utentes do Centro de Recuperação e Integração de Abrantes (CRIA) para a prática de desporto adaptado e elementos dos GIPS da GNR para instrução física.

Á margem desta deliberação, o vereador Luis Dias revelou que em 2019, os equipamentos desportivos municipais tiveram 250.000 utilizações. A piscina coberta da Cidade Desportiva teve um acréscimo de 7% de utilizadores, relativamente a 2018, totalizando 55.000 utilizações.

As entidades que viram os seus pedidos aprovados para isenção de taxas são as seguintes:
Agrupamento de Escolas n.º 1 de Abrantes (Escola Secundária Dr. Solano de Abreu, Escola Básica do Rossio ao Sul do Tejo, Escola Básica e Secundária D. Miguel de Almeida e Escola Básica Maria Lucília Moita);
Agrupamento de Escolas n.º 2 de Abrantes (Escola EB1/JI António Torrado, Escola Secundária C/2º e 3º C.E.B. Dr. Manuel Fernandes e Escola Básica e Secundária Octávio Duarte Ferreira - Tramagal);
Associação de Pais da Escola Básica Maria Lucília Moita – APENCALF;
GIPS /GNR;
Centro de Recuperação e Integração de Abrantes - CRIA.

Prejuízos do mau tempo

Os prejuízos causados pelo mau tempo (depressão meteorológica Elsa), na semana de 16 a 20 de dezembro, estimam-se em um milhão e cem mil euros, anunciou hoje o presidente da Câmara durante a reunião quinzenal do Executivo.
Manuel Jorge Valamatos adiantou que o resultado do primeiro levantamento realizado pelas equipas técnicas da Câmara foi remetido à Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT), entidade que está a elencar os prejuízos junto de cada um dos 13 municípios que a integram para que, na base da concertação também com a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), a região esteja posicionada para eventual enquadramento de medidas de apoio do governo central que possam surgir para minorar os prejuízos causados.
O Presidente esclareceu que o levantamento em causa reporta-se a danos estruturais em infraestruturas municipais. A estimativa não inclui, entre outras, situações de derrocadas, danos em passeios - situações que os serviços municipais estão a repor por administração direta - ou problemas nas condutas de abastecimento de água que, sendo situações urgentes, os Serviços Municipalizados procederam ao restabelecimento dos mesmos, pelo que o apuramento dos prejuízos poderá ultrapassar a verba indicada.
Os estragos fizeram-se sentir com maior intensidade nas freguesias de Aldeia do Mato e Souto, Rio de Moinhos, Martinchel, Abrantes e Alferrarede (Abrançalha e Sentieiras).
Transbordo do leito de ribeiras provocando destruição de margens, valetas, arruamentos e condutas de água e danificação de muros de suporte; destruição de pontões e passagens hidráulicas; destruição de parte do talude em aterro, transbordo do leito da linha de água, com inundação do parque de merendas da praia fluvial de Aldeia do Mato são alguns dos estragos identificados como sendo de maior gravidade.
Manuel Jorge Valamatos disse esperar que o governo central disponibilize apoios específicos para estes prejuízos em infraestruturas por se tratarem de valores muito elevados que é um valor incomportável para as Câmaras.

Antiga escola primária de Entre Serras

A Câmara de Abrantes aprovou, no dia 21 de janeiro de 2020, a nova minuta de um protocolo a celebrar com a Associação Cultural e Recreativa de Entre-Vale e Serras e a Associação de Caça e Pesca de Mouriscas, com vista à utilização das instalações da antiga Escola Primária de Entre Serras, por ambas as associações.
Este edifício municipal estava já cedido por protocolo, estabelecido em março de 2003, à Associação Cultural e Recreativa de Entre Serras, tendo sido de sua iniciativa a proposta para que a Associação de Caça e Pesca de Mouriscas possa também beneficiar da utilização das instalações cedidas.
Com esta decisão, a Câmara de Abrantes contribuiu para a boa manutenção de edifícios que estão sobre a sua alçada. Ao mesmo tempo que cria as melhores condições para o trabalho do movimento associativo a favor das populações locais.

Neste sítio são utilizados cookies de forma a melhorar o desenpenho e a experiência do utilizador. Ao navegar no nosso sítio estará a concordar com a sua utilização. Para saber mais sobre cookies, consulte a nossa politica de privacidade.